Boa noite! Terça, 23/Abr./2024

Vítima de acidente envolvendo Pref. Caio recorre a Justiça em busca auxílio médico e reparação de parte dos danos

Sexta, 26 de Jan. de 2024
Fonte: Redação Mais Tupã!

Foi ajuizada uma ação movida pela moradora de Tupã, Andréia de Oliveira, que foi vítima do acidente causado pelo Prefeito Caio Aoqui, no último dia 18 de novembro de 2023, na Rua Cherentes no centro de Tupã. 

Na ocasião, um sábado no período da tarde, o Prefeito alegou que teve um mal súbito, o que teria motivado o choque contra dois veículos que estavam regularmente estacionados. 

Andréia era motorista de um veículo Fox, e aguardava seu filho sair da catequese. Devido a violência do impacto Andréia foi socorrida pela Unidade de Resgate do Corpo de Bombeiros para o pronto socorro da Santa Casa de Tupã. 

Em nota a Prefeitura quis fazer parecer que teria sido um acidente sem vítimas, ou que seria um quadro leve, o que acabou somente agora sendo documentalmente refutado pela própria ação impetrada. A cinemática do impacto foi tão intensa e violenta que o veículo da autora teve perca total, e ainda atingiu outro veículo que estava estacionado a frente. 

Em decorrência do acidente Andréia foi medicada na Santa Casa de Tupã, sendo inclusive receitado remédio de uso controlado, devido ao trauma físico sofrido. Além disso o filho de Andréia que estava na catequese, ao sair da aula, em prantos, se deparou com o veículo da família destruído e a mãe sendo socorrida desacordada. 

A ação proposta traz a informação de que a velocidade máxima da via é de 30 km/h, e segundo a Revista Automobilística 4 Rodas, os airbags só são acionados em colisões acima de 34 km/h, o que indica que o Prefeito estaria acima da velocidade máxima permitida. 

Após o acidente a vítima, segundo a ação proposta, a vítima foi abandonada pelo causador do acidente, sendo que sequer os atendimentos médicos foram custeados pelo Prefeito Caio Aoqui, ou pela Prefeitura Municipal, que é proprietária do veículo envolvido no acidente. 

A autora da ação ainda destaca que não recebeu os valores que ela pagou pelo seu veículo que teve perda total. O seguro do carro oficial teria pago apenas o valor financiado a ser ainda pago, deixando a vítima com prejuízo de tudo que já havia gasto no veículo anteriormente, parcelas e valor da entrada, sendo que o carro era o único meio de levar seus filhos pequenos para escola e demais compromissos. 

Devido aos problemas de saúde ocorridos após o acidente a vítima tem necessitado de exames e acompanhamento de médicos, e na ação o advogado Dr. Hilbert Fernandes Machado pede que os as partes requeridas, Prefeito e Prefeitura, arquem com os custos do tratamento médico dos problemas físicos decorrentes do acidente do dia 18/11.

Além disso, em título de dano moral causado, também é requerido um valor indenizatório para impedi-lo de provocar mal igual em situação posterior em título de correção educacional e de punição reparativa. 

Tal ação sequer seria necessária se a Prefeitura e o Prefeito Caio Aoqui tivessem assistido a vítima do acidente causado pelo chefe do executivo, mas pelo contrário, fica exposto na ação um abandono da vítima a própria sorte, que ainda espera na fila do SUS para ter atendimento médico. 

A vítima ainda relata que teve que fazer um financiamento de um novo veículo, sem ter como dar uma entrada no financiamento, pois não recebeu o que já havia gasto, e precisou da ajuda de um dos seus filhos para poder realizar o financiamento. 

A ação de número 1000568-91.2024.8.26.0637 está tramitando na 1ª Vara Cível de Tupã. A Prefeitura de Tupã e Prefeito Caio Aoqui ainda serão notificados para se manifestar no processo.

LEIA TAMBÉM