Boa noite! Sábado, 22/Jun./2024

Lula viaja para Egito em jatinho de empresário que teria doado valores possivelmente irregulares para sua campanha

Terça, 15 de Nov. de 2022
Fonte: Redação Mais Tupã!

Um relatório produzido pela Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias, uma área técnica do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), identificou “irregularidade grave” na doação de R$ 660 mil feita a Lula pelo empresário José Seripieri Filho, fundador da rede Qualicorp e dono da Qsaúde. Seripieri é o mesmo que emprestou seu jatinho para Lula viajar à COP27, no Egito.

Pelas regras fixadas em uma resolução do TSE, os partidos políticos e os candidatos são obrigados, durante as campanhas eleitorais, a informar — em um prazo de até 72 horas corridas — à Justiça Eleitoral sobre os recursos financeiros recebidos. O prazo começa a contar a partir do momento em que o dinheiro é depositado nas contas do partido.

Obtido pelo jornal O Globo, o documento do TSE mostra que Lula não respeitou o prazo, depois de receber os R$ 660 mil de Seripieri. A doação do empresário foi feita em 27 de setembro, mas o TSE só recebeu o relatório financeiro sobre o recurso no dia 3 de outubro, ou seja, seis dias depois — e um dia após a realização do primeiro turno, em 2 de outubro.

Delator

Seripieri foi preso em julho de 2020 em operação da Polícia Federal que investigava suposto esquema de caixa 2 na campanha de José Serra (PSDB-SP) ao Senado, em 2014. PSDB que é o antigo partido de Geraldo Alckmin, vice-presidente eleito e coordenador da transição de governo.

A operação, batizada de Paralelo 23, apontou pagamento de R$ 5 milhões não contabilizados, feitos a mando de José Seripieri Filho, à campanha do tucano.

Segundo o MP-SP (Ministério Público de São Paulo), as doações foram feitas em duas parcelas de R$ 1 milhão e uma de R$ 3 milhões. No início de novembro, Serra, José Seripieri Filho, e outros 2 empresários se tornaram réus na Justiça Eleitoral em São Paulo. O grupo é acusado de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e caixa 2.

Informações: Revista Oeste / Poder 360

LEIA TAMBÉM