Boa noite! Quarta, 6/Dez./2023

Estacionamento em um dos lados da Rua Miguel Gantus será proibido

Terça, 24 de Out. de 2023
Fonte: Assessoria

A Subsecretaria de Segurança e Trânsito, comunica que o estacionamento de veículos será proibido do lado esquerdo da Rua Miguel Gantus, no sentido Rua Aimorés à Rua Caingangs. A proibição vale a partir do dia 6 de novembro.

Estudos desenvolvidos pela Polícia Militar do município apontaram para a necessidade da medida em várias vias de Tupã. A proposta foi aceita após ser amplamente discutida no Conselho Municipal de Trânsito, com participação de representantes da Prefeitura de Tupã, da Câmara Municipal e da sociedade civil.

“Como se trata de uma via de mão dupla, o estacionamento dos dois lados torna a pista ainda mais estreita do que já é, prejudicando a fluidez no trânsito. Com a proibição, a circulação no trânsito local será facilitada, proporcionando, consequentemente, mais segurança para todos", explicou o subsecretário de Segurança e Trânsito, Renato Gonzales.

Além do tráfego intenso, a rua possui uma grande circulação de veículos de carga e essa situação gera um grande transtorno e aumenta o risco de acidentes. Para a mudança, a Subsecretaria informou que a população local foi avisada por meio de comunicado, e que materiais foram divulgados na imprensa local informando sobre a mudança.

Durante a primeira semana da instalação da sinalização de solo e colocação de placas, a Subsecretaria de Segurança e Trânsito irá desenvolver atividades educativas para reforçar sobre a mudança. A partir do dia 6 de novembro serão iniciadas as autuações de trânsito caso haja descumprimento da regulamentação. 

Vale lembrar que, estacionar veículos em local e horário de estacionamento e parada proibidos pela sinalização (placa R6-c- Proibido Parar e Estacionar) é Infração – grave, cuja penalidade é de multa no valor de R$ 195,23, gerando 5 pontos na CNH do condutor e a medida administrativa é a  remoção do veículo.

"Nós pedimos a compreensão da população de Tupã, isso não foi feito de maneira aleatória, foi feito um estudo pela Polícia Militar, que levou cerca de um ano para que pudesse ser concluído, tudo isso visando a segurança do pedestre e também do condutor", disse Gonzales.

LEIA TAMBÉM