Boa noite! Sábado, 22/Jun./2024

Tupã confirma 1º caso de chikungunya

Quarta, 22 de Mai. de 2024
Fonte: Redação Mais Tupã!

O primeiro caso autóctone (transmissão dentro da cidade) de Febre Chikungunya neste ano, em Tupã, foi confirmado na tarde desta segunda-feira (20/05) pela Secretaria Municipal da Saúde.

O primeiro caso da doença em Tupã em 2024 foi confirmado em uma mulher de 39 anos, residente no Jardim Morumbi, Zona Norte. Ela teve início dos sintomas no dia 2 de maio, fez exame para dengue e deu negativo, após, realizou outros exames e confirmou positivo para Chikungunya em convênio particular. Tupã tem cinco suspeitos da doença que estão em análise para Chikungunya no Instituto Adolpho Lutz.

A doença infecciosa febril é transmitida pelos mosquitos Aedes albopictus e Aedes aegypti, sendo esse último responsável também pela transmissão de dengue no Brasil. 

A Chikungunya pode causar doença aguda, subaguda e crônica. A fase aguda é mais comumente caracterizada por febre de início súbito (tipicamente maior que 39°C) e dor articular intensa. Entre outros sinais e sintomas podem incluir cefaleia, dor difusa nas costas, mialgia, náusea, vômito, poliartrite, erupção cutânea e conjuntivite. A fase aguda da Febre Chikungunya dura de 3 a 10 dias.

Na fase subaguda e crônica, a maioria dos pacientes, após os primeiros dez dias, podem sentir uma melhora na saúde geral e na dor articular. Porém, após este período, uma recaída dos sinais pode ocorrer com alguns pacientes reclamando de vários sintomas reumáticos, incluindo fortes dores nas articulações, ossos, nos punhos e tornozelos.

Os sintomas são muito comuns entre dois e três meses após o início da doença. Em alguns casos também podem ser registrados distúrbios vasculares periféricos, como a síndrome de Raynaud. Além dos sintomas físicos, podem aparecer sintomas depressivos, cansaço geral e fraqueza.

LEIA TAMBÉM