Boa noite! Segunda, 15/Abr./2024

Em Assis, professor é afastado após contar para alunos experiências como garota de programa travesti

Quarta, 13 de Mar. de 2024
Fonte: G1

Um professor foi afastado das atividades escolares após relatar para alunos em sala de aula supostas experiências como garota de programa travesti. O caso foi registrado na Escola Estadual "Dr. Clybas Pinto Ferraz de Assis e a Secretaria Estadual de Educação informou que abriu uma comissão para apurar o caso.

O docente do segundo ciclo do ensino fundamental, que tem a maioria dos estudantes com menos de 14 anos, relatou suas supostas experiências como travesti durante uma das aulas. Em uma gravação, é possível ouvi-lo reclamar do salário como professor e questionar se os alunos nunca tiveram um professor travesti (ouça acima).

"O salário de professor é muito baixo, e a renda extra que eu faço como F., eu ganho muito mais do que como professor, porque eu tenho vários clientes. Eu não, a F. tem vários clientes. Não fique chocado. Você nunca teve um professor que é travesti à noite?", indaga.

"Alguém aqui tem algum problema com travesti? Porque, se tiver, a gente resolve na gilete", diz.
Ele ainda dá detalhes do trabalho e afirma que faz programa "tanto com meninos quanto com meninas". Na sequência, o professor pontua que deixará os alunos "matarem a curiosidade a respeito da travesti" e que eles podem "perguntar o que quiserem".

Os estudantes chegam a indagá-lo sobre relações com homens e mulheres e, até mesmo, com outras travestis. Em todas as perguntas, o professor responde e dá detalhes do trabalho como garota de programa.

"A F. é flexível… Depende do cliente. Se o cliente quiser que a F. seja passiva, vai ter que pagar mais", relata em um dos momentos

"O programa completo, onde a F. faz barba, cabelo e bigode, que é o termo para 'faz tudo', chupa, come, dá, beija, faz tudo, é R$ 300 para passar no máximo uma hora e meia com a pessoa", complementa.
Em nota, a Secretaria de Educação do Estado de São Paulo disse que a "Diretoria de Ensino (DE) de Assis tomou as providências necessárias assim que foi comunicada do ocorrido, em 11 de março. Uma comissão preliminar foi instalada e o professor está afastado do exercício das funções". Informou também que segue "à disposição da comunidade escolar para maiores esclarecimentos".

LEIA TAMBÉM