Boa noite! Quinta, 13/Jun./2024

Prefeitura de Tupã e TJSP retomam Projeto Despertar para Apadrinhamento Afetivo

Segunda, 7 de Nov. de 2022
Fonte: Assessoria

O programa de Apadrinhamento Afetivo de Tupã – Projeto Despertar, que tem o objetivo de proporcionar momentos e referências familiares, comunitárias e de carinho às crianças e aos adolescentes que vivem em situação de acolhimento institucional e sem possibilidade reintegração familiar ou colocação em família adotiva, será retomado em Tupã após paralisação por causa da pandemia.

O Apadrinhamento Afetivo é promovido pela Secretaria de Desenvolvimento Social e Direitos Humanos, por meio do CREAS (Centro de Referência Especializado de Assistência Social), em parceria com o TJSP (Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo) e Casa de Acolhimento Abrace.

“Nesse programa a gente consegue aproximar crianças e adolescentes, que tem dificuldade de colocação em um lar adotivo, daquelas pessoas que tem um coração bom e afetivo. Tupã é uma cidade muita solidária, e tenho certeza que iremos encontrar pessoas dispostas a dar carinho e atenção para esses jovens”, comentou a secretária responsável pela Pasta, dra. Telma Tulim.

Conforme a chefe de setor do CREAS, Jaqueline Fernanda Vieira, para ser padrinho ou madrinha é necessário ter disponibilidade para participar afetivamente da vida de uma criança ou adolescente; ter idade mínima de 21 anos, sendo que a diferença de idade entre inscrito e afilhado (a) precisa ser de 16 anos; os padrinhos ou madrinhas podem ser casados ou solteiros, contanto que residam em Tupã.

Em relação às crianças e adolescentes, o programa é voltado àqueles que estejam na Casa Abrace, tenham mais de sete anos, e que estão com situação jurídica definida, sem possibilidade de retorno para família de origem ou que tenham chance de colocação em família adotiva.

“O CREAS se coloca à disposição para fornecer informações referentes à documentação para cadastramento de candidatos a ser padrinho ou madrinha e para conhecer mais da iniciativa, que acontece o ano todo”, informou.

LEIA TAMBÉM